Destaques

"...Enquanto ensinarmos que o mundo é um lugar a ser evitado, que as mazelas humanas são fruto da ausência de Deus, que Deus não ouve os pecadores, que só a igreja evangélica é que detém os "diretos autorais" da salvação, que ser forte e inabalável é sinônimo de fé e que ser pecador é ser inimigo de Deus então ainda não entendemos o plano da salvação e o evangelho de cristo rebaixado apenas á mais uma religião...."
"Sequencia de vídeos diários com a leitura do Novo Testamento"

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O Evangelho é simples assim!


O Evangelho de Jesus é simples.

Ele não oprime, dá liberdade; não aterroriza, lança fora o medo; não agoniza, traz descanso; não condena, traz perdão.

O Evangelho de Jesus não esmaga, alivia fardos; não manipula, respeita; não controla, traz consciência; não promove o ódio, ama; não separa Deus dos homens, os reconcilia; não promove a disputa, a contenda e a beligerância, traz a paz.

O Evangelho não vive em busca de erros, diz “vá e não peques mais”; não usa as pessoas, vê o valor delas; não é um meio para se alcançar um fim, é o principio, o meio e o fim de tudo; não é propriedade de ninguém, é de todos e é para todos.

Ele não adoece, cura; não perturba, pacifica; não ameaça, chama pelo amor; não domina, convida; não complica, torna tudo mais simples; não vive vendo o mal, procura o bem; não atormenta, mas sabe que Jesus despojou os principados e as potestades e os expôs ao desprezo, triunfando sobre eles, na cruz.

O Evangelho não disputa posições, serve; não vive de aparências, só é o que é; não faz nada em série, porque o caminho de Deus com um ser humano é só deles dois; não confunde, traz luz; não agita, acalma; não faz trocas, é de graça; não compra nem vende nada, é favor de Deus; não procura justiças humanas, só confia na justiça de Jesus; não é só para uma área da vida, é a vida toda; não acontece em um lugar ou numa geografia, acontece na existência e no chão da história; não tem dia e hora, é o tempo todo.

O Evangelho não é um credo, é um relacionamento; não faz teologia de Jesus, caminha com Jesus; não explica Deus, é Deus em Cristo se reconciliando conosco; não é gerenciado por homens, é livre; não copia homens, faz discípulos de Jesus; não estuda Jesus, se alimenta de Jesus; não segue um movimento ou uma crença, é ser amado por Deus e amá-lo; não tem fórmulas, é um caminho; não é Deus em troca de algo, é Deus por Deus, porque Ele é quem é, porque Ele nos amou primeiro.

O Evangelho não busca favores de homens, apresenta o favor de Deus que está em Cristo; não vive fazendo continhas de erros e acertos, apaga as transgressões e delas não se lembra mais; não exalta homens ou grupos, chama para seguir o Cordeiro que foi morto antes da criação do mundo; não vive de vaidades humanas, aprende com Jesus, manso e humilde de coração; não se encontra nos palcos, mas aos pés da cruz de Cristo.

O Evangelho não é o que eu sei, conheço, faço, conquisto, alcanço ou realizo; não são meus merecimentos, minha fé, meus sacrifícios, minha devoção, minha contribuição, meu esforço, minha santidade, minha justiça própria – é quem Jesus é, o que Ele fez, o que Ele faz, a Sua vida, o Seu amor, a Sua justiça, o Seu sacrifício na cruz, o Seu sangue derramado por nós, o Seu poder para nos sustentar, guiar e guardar. É dom de Deus, para que ninguém se glorie ou se envaideça.

O Evangelho é simples; nós é que somos complicados.

Na verdade, parece que quanto mais complicada a mensagem, mais atraente ela se torna para as pessoas; quanto mais difícil, apelativa às emoções e às sensações, misteriosa, imposta, cheia de exigências e de intermediários, cheia de justiças próprias, controladora e alimentadora de culpas, mais irresistível. Para muitas pessoas, não importa mais o que é certo, mas o que dá certo, o que funciona, o que faz e acontece.

Será que não é isto que estamos vendo em nossos dias?

Está na hora de com muita honestidade, humildade e sinceridade confrontarmos tudo que estamos vendo e ouvindo com as palavras e a vida de Jesus que encontramos no Evangelho.

Porque o Evangelho é boa notícia e a boa notícia é Jesus.

Deus não nos odeia, Ele nos ama. Ele não está contra nós; em Cristo, Ele é por nós. Ele não quer nos condenar, mas nos perdoar. Ele não quer nos fazer mal, mas nos fazer o maior bem que nós nem mesmo sabíamos que existia.

Deus não é propriedade de homem algum, de grupo nenhum ou de movimento algum, seja ele qual for, tenha ele o nome que tiver. Ele é Deus. Livre. Senhor. Único. Soberano.

A palavra da cruz é para todos. A graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens. Cristo deu sua vida por todos. O Justo, Jesus, morreu pelos injustos. Ele é o pão que descendo do céu dá vida aos homens; a luz que vinda ao mundo ilumina a todos os homens.

É para quem quiser e é de graça. Completamente de graça.

O preço foi pago na cruz e quem o pagou foi Jesus e apenas Ele. Não há mais nada a acrescentar ou somar ao que Ele já fez. Está feito e está pago. Acabou.

Será que você consegue separar Deus daquilo que as pessoas falam e fazem, em nome dele, mas que não tem, absolutamente, nada haver com quem Jesus é e com o que Ele sempre fez? Apenas leia os Evangelhos.

Qualquer pessoa pode usar o nome de outra pessoa, mas isto não significa que ela esteja, realmente, falando em seu nome. E isto aconteceu com o Evangelho através da História: pessoas falando como se fossem seus representantes, mas que na verdade, não representavam em nada a pessoa de Jesus.

Falar com a Bíblia aberta não significa, necessariamente, estar anunciando o Evangelho de Jesus. Citar histórias e textos dos evangelhos não quer dizer que aquilo que está sendo dito é o que Jesus, de fato, disse. Entusiasmo, eloqüência, tom e volume de voz, brilhantismo, emoção e carisma não significam que o que está sendo afirmado e anunciado tem alguma coisa haver com a vida que Jesus viveu e com o que Ele, realmente, ensinou. E isto é tão verdade que o próprio Jesus disse que nem mesmo fazer milagres em Seu nome significa conhecê-lo.

Pense realmente sobre isto.

Eu preciso olhar para a pessoa de Jesus, examinar sua vida, ler os Evangelhos, provar todas as coisas, pensar, refletir, julgar e discernir.

O Evangelho é belo, é bom, é simples, é libertador. O Evangelho é Jesus. É Ele quem faz, quem fala, quem opera, quem realiza.

Se você e eu pudermos aprender a separar as coisas, nós começamos a ver, novamente, a beleza do Evangelho de Jesus em toda a Sua leveza, simplicidade, verdade, misericórdia, liberdade e vida.

Deus quer caminhar com você e comigo. Cristo quer viver em você e em mim. É um caminho. E Ele está dizendo para nós: “Vem e segue-me”.

Então, siga a Jesus e só a Ele. Creia no Evangelho de Jesus e só nele. Caminhe com Deus com sinceridade e verdade.

É simples. É de graça. É livre. É para todos. É para você e para mim.


Pr. Paulo Cardoso

Comentários
0 Comentários

Outras publicações