Destaques

"...Enquanto ensinarmos que o mundo é um lugar a ser evitado, que as mazelas humanas são fruto da ausência de Deus, que Deus não ouve os pecadores, que só a igreja evangélica é que detém os "diretos autorais" da salvação, que ser forte e inabalável é sinônimo de fé e que ser pecador é ser inimigo de Deus então ainda não entendemos o plano da salvação e o evangelho de cristo rebaixado apenas á mais uma religião...."
"Sequencia de vídeos diários com a leitura do Novo Testamento"

domingo, 21 de outubro de 2012

Um dia na Marcha em SBC-2012


Ontem dia 20/08 ocorreu a Marcha para Jesus em São Bernardo do Campo, SP. O sol estava escondido pelo tempo nublado e abortado com breves momentos de chuva, mas graças a Deus quando todo grupo se reuniu a chuva deu uma trégua, lá estavam as pessoas de frente para o palco em suas danças extravagantes e mundanas e ,claro, ao som das músicas mais persuasivas a essa tendencia mundana, tinha até uma bateria de escola de samba lá. 

Quando a bateria estava se apresentando um jovem veio ate mim e perguntou: -É certo a igreja querer parecer igual ao mundo só para atrair mais pessoas? 

Com essa pergunta entendemos que as pessoas estão vendo que a igreja que deveria carregar consigo a mensagem de transformação, hoje, trás somente entretenimento. Mas um dos auges da marcha foi quando abrimos as faixas, a reação negativa que desencadeou em relação as pessoas foi notória a tal ponto de chegarem a nos ameaçar com aquele velhos chavões conhecidos como: "ai daquele que tocar na menina dos olhos alem do desprezo por parte da liderança e do organizadores do evento , mas Graças a Deus muitos vieram até nós com sede e fome do evangelho e inconformados e cansado com esse evangelho mentiroso que tem sido pregado hoje, prova é que ficamos lá até as 21:30 hs, isso depois que o evento tinha terminado e continuamos discorrendo sobre o evangelho para com as pessoas. 

Mas o auge mesmo foi esse momento como a foto ilustra, onde a liderança e os organizadores do evento desceram lá do palco onde estavam ,para a vir a frente das faixas, no primeiro momento não reagiram mas depois o organizador , começou a apontar para a frase que estava em sua camisa "hipocrisia não" e isso quando eles já conversavam com o Laudinei,. 

Nós ainda estávamos com as faixas, mas Deus tinha preparado tudo de antemão ,tres rapazes que se identificaram com a mensagem estavam lá conversando conosco e mas quando vimos o Nei rodeado de seguranças, primeiramente o Paulo foi, depois todos, esse foi o auge, nunca pensei estar em tal situação , eu um miserável pecador que um dia zombei do Senhor com meus pecados, estar la defendendo a pureza do evangelho com meus companheiros. 

Começou um debate pela defesa da sã doutrina,vimos no começo o desprezo com que nos olhavam e a forma que falavam como nos debochando, mas a conversa foi tão intensa que um deles virou as costas e nos deixou falando por falta de argumento que defendiam seus interesses, que foram desmontados um a um, mas o problema mora ai, pouco a pouco vemos o que as pessoas são capazes de fazer para manter os interesses, mas é claro não estávamos com intuito de ganhar ou perder o que queriamos é que despertem para a verdade e se desfaçam da capa da arrogância, mas o essencial e que muitos receberam a mensagem com muita alegria e que na eternidade poderemos pela misericórdia ver esse frutos das s sementes que foram lançadas não só ontem mas em todas as vezes que nos pregamos o evangelho para alguém. 

Luiz Henrique (via Facebook)

Postado por Domingos Massa em 


Domingos Massa contando por email:

Marcamos para o fim da tarde, pois a Marcha percorre um bom percurso na cidade e termina num local onde há o grande show. Por estar chovendo e eu gripado, só pude comparecer ao local já quase 6 da tarde, porém qdo lá cheguei já estavam os irmãos Nei, Massa, Erick e Luiz Henrique. Ou seja, cinco irmãos, pouco pois a nossa média é 8.
 
Ao chegarmos no local, nos deparamos com um público de mais ou menos 6 mil pessoas. Interessante é que em SBC a Marcha para Jesus pertence a poucas igrejas, e tb tem a permissão de poucas igrejas. Porém, as que participam são igrejas bastante isoladas do universo evangélico, pois são igrejas fruto de diversas divisões do meio apostólico. Ou seja, se o movimento apostólico já é ruim, imagine suas divisões.
 
Chegamos, como sempre, de forma simples, e estendemos 2 faixas: a velha, antiga e "maldita" com nosso slogan, e a outra dizendo que sem transformação social e cultural não há avivamento e nos identificando como movimento. De início, parecia tudo muito simples. Muitas pessoas olhavam e até de certa forma nos ignoravam. Mas foi depois que o Massa começou a distribuir o folheto sobre o pq do movimento que várias pessoas começaram a nos indagar.
 
De início, até de forma despretenciosa. Começamos a perceber que havia pessoas com uma camiseta amarela e um outro grupo com camisetas pretas. Isso era notório na multidão. Foi qdo, subitamente, um rapaz com camiseta amarela se aproximou de nós todo exaltado (como de costume) e disse que estava ficando nervoso com a gente. Agimos como sempre, nos mantivemos na mesma posição e assim ficamos. De repente, a música parou no palco e o apóstolo dono do negócio começou a chamar políticos e amigos da festa para o palco. Enfim, houve o momento político. 
 
Tudo dentro do normal. Após um tempo, a música voltou e tudo continuou como estava. Porém, passados alguns minutos, notamos que o apóstolo dono do pedaço havia saído do palco, vindo se colocar metros à nossa frente, rodeado por seguranças e diversos outros apóstolos. Começaram a se virar contra nós e apontar a camiseta do apóstolo, que tinha a frase "hipocrisia não". E ele virava a camiseta para nós e insistentemente apontava os dizeres.
 
Foi qdo o Nei tomou a iniciativa de ir até ele para fotografar a camiseta. Porém, subitamente o Nei foi rodeado pelos seguranças e pelos outros apóstolos, pastores e sei lá mais quem, e começou um bate-boca. Eu imediatamente larguei a faixa que segurava e corri para o meio deles. E aí o negócio fervou.
 
Eu, envolto com mais de 11 apóstolos, mais seguranças, e de repente, pessoal, os 5 infelizes do movimento pela ética estávamos rodeados por uma multidão de pessoas, que gritavam contra a gente todos juntos. Eu não sei qtas vezes eram contra nós, mas, cara a cara com o apóstolo dono do pedaço. Vivenciamos um momento incrível, desde o início do movimento. Já fomos agredidos, xingados, enxotados, ridicularizados, molhados, porém irmãos, nunca havíamos enfrentado uma situação como essa.
 
A situação era para um linxamento. Porém, creio eu que o céu desceu ali. Até agora não me lembro do que eu disse, mas revestido pela verdadeira Graça de Deus eu calei aqueles 11 homens à minha volta. O tal apóstolo dono do pedaço, assustado com tudo o que eu dizia, com cara de espanto, após vinte, trinta minutos, não sei dizer, me abraça e diz que haverá um congresso na sua igreja e eu serei convidado a estar lá. De repente, toda aquela multidão à nossa volta começa a se retirar.
 
Eu fiquei com um dos pastores responsáveis pela segurança do evento, e os demais irmãos ficaram com uns grupos debatendo sobre o movimento. Mas o ambiente não mais era hostil. 
 
O maravilhoso nisso tudo foi que descobrimos, em meio a tudo isso, que havia ali um grupo de jovens que estavam se juntando para tb protestar, pois a maioria deles foi expulsa dessas igrejas apostólicas. A cena mais bonita que nós vimos foi que, enqto nós éramos atacados, esses jovens tomaram nossas faixas e as mantiveram erguidas atrás de nós. No final, se colocaram dispostos a marchar pelo verdadeiro Evangelho de Cristo.
 
Ou seja, em meio a tudo isso, nós ganhamos um grupo em SBC. 
 
Na madrugada do dia 31 de outubro estaremos em SBC, refazendo o ato de afixarmos as teses de Lutero nas igrejas apostólicas, juntamente com esse novo grupo. Glória a Deus!!!! Mais uma aventura do puro e simples.


Comentários
0 Comentários

Outras publicações