Destaques

"...Enquanto ensinarmos que o mundo é um lugar a ser evitado, que as mazelas humanas são fruto da ausência de Deus, que Deus não ouve os pecadores, que só a igreja evangélica é que detém os "diretos autorais" da salvação, que ser forte e inabalável é sinônimo de fé e que ser pecador é ser inimigo de Deus então ainda não entendemos o plano da salvação e o evangelho de cristo rebaixado apenas á mais uma religião...."
"Sequencia de vídeos diários com a leitura do Novo Testamento"

domingo, 3 de julho de 2011

Quero ver protestar na parada gay!

POR ALEX MARTINS

Hoje quero deixar registrado aqui o que já respondi diversas vezes no facebook, no twitter, por email, etc...
Já dei essa resposta inúmeras vezes e se me perguntarem isso de novo apenas responderei com o link desse post, fica mais fácil.

Sempre após os protestos que participo, principalmente os na marcha para Jesus, algumas pessoas me mandam mensagem ou comentários no blog fazendo a mesma pergunta, de maneiras diferentes, com educação diferente mas com o conteúdo igual. Sintetizando essas perguntas e deixando de uma forma amigável e educada - originalmente não é assim -  seriam estas: 


Já que vocês são tão corajosos  porque não vão protestar contra a corrupção e contra a política no Brasil invés de protestar na marcha para Jesus?

e principalmente:

Já que vocês são tão corajosos  porque não vão protestar na marcha gay invés de protestar na marcha para Jesus?



Vamos lá.
Em primeiro lugar temos que diferenciar os campos politico, moral e religioso (cristão).

POLITICO
No campo político há muito que se protestar no Brasil: A carga tributária é uma das maiores do mundo e foi classificada pela ONU como uma extorsão  legalizada  praticada pelo governo, os impostos chegam a corroer 46% da renda dos brasileiros comuns e o impostometro chega ás alturas. 
Tudo isso, e muitas outras coisas, como injustiça, burrocracia, corrupção, impunidade, etc, são fatores para gerar protestos contra o governo.


MORAL
Moral é o conjunto de costumes que regem uma sociedade. Lei é quando esse costume se torna obrigatório, até para aqueles que não tinham determinados costumes, mas que agora deverão passar a ter.
A moral define o que é "certo e errado" dentro de uma determinada sociedade e é plenamente influenciada pela cultura. Por isso ela é diferente em cada região do país e muito mais de país para país. 
Existem países onde crianças de 12, 13 anos são entregues à adultos para se casarem, isso é imoral no Brasil, não faz parte do nosso costume.
Há países onde a prostituição e a maconha são liberados, mas isso também é imoral por aqui.
Ouvi um missionário dizer que os esquimós  são um povo muito hospitaleiro, tão hospitaleiro que oferece aos seus visitantes sua própria esposa para um noite de sexo de boas vindas. Segundo ele isso é normal por lá, e se você não aceitar estará fazendo desfeita da gentileza deles. Mas aqui, no Brasil, isso é totalmente imoral  (alguns solteiros estão refazendo agora seus planos de viagem de férias).

Sendo a moral um conjunto de costumes, independentes de religião, fica difícil fazer qualquer protesto já que a maioria da população está envolvida e aprova esses costumes, talvez a minoria que não os aprova poderia protestar.

RELIGIOSO 
O campo religioso é o mais fértil para protestos. Há muitas religiões numa sociedade e muito mais no mundo, cada uma com seus costumes, valores, práticas, ritos e sacralidades.
Na índia existem milhões de deuses, eles morrem de fome mas não matam uma vaca pra fazer um churrasco, tudo lá é sagrado. Só dentro do cristianismo existem diversos seguimentos: Espíritas, católicos, protestantes, etc. E nem mesmo dentro deste grupo os cristão se entendem, muito menos se forem debater com os hindus, judeus, muçulmanos, homens bombas xiitas, etc.  Já dizia Karl Max: "A religião é o ópio do povo". E dependendo do ponto de vista é mesmo. A religião é a base de todas as guerras, matanças e massacres em todos os tempos.
Fazer um protesto de cunho religioso contra outras religiões é inútil e ditatorial.
Os motivos são tantos que não teria nem "graça" devido aos diversos pontos de vista de cada religião.


Agora quando um sub-grupo religioso começa a distorcer os valores daquele grupo, fazendo coisas que não são de costumes geral, mas que leva o nome do grupo, então esse "braço" rebelde deve ser confrontado a que volte ao grupo ou que se desligue permanentemente e assuma um nome próprio.

É ISSO QUE TENTO FAZER

Confrontar aqueles que se dizem cristãos mas que não praticam o cristianismo puro e simples da bíblia gerando assim confusão e generalização do equivoco dentro do cristianismo. Luto para que eles se conscientizem e retornem ao cristianismo ou para que de desvinculem de vez e assumam o paganismo sem máscara cristã. Porque eu como cristão, não tenho os valores deles e não ajo da mesma forma que eles.

Vejam que eu não sou um protestante político, nem um protestante moral, nem um protestante religioso do ponto de vista mais subjetivo.

Não vejo como errado protestar nos campos políticos, morais ou religiosos, mas essa não é minha "praia" e deixo isso para aqueles que se acham movidos a isso.

Mas no dia em que, no campo político, os impostos abusivos, a burocracia, ou a corrupção forem feitos em nome do cristianismo com "base" bíblica então eu estarei lá em frente as prefeituras, aos palácios do governo com minhas faixas sobre o evangelho puro e simples. Mas enquanto isso não ocorrer deixo os protestos do campo político para os ativistas políticos.

E aqui respondo a pergunta principal:
No dia em que a marcha gay justificar a prostituição, o consumo de drogas e álcool, a promiscuidade e qualquer outro ato que se encontre em sua marcha, com versículos bíblicos e com prerrogativa cristã, lá também estarei eu em plena marcha gay levando minhas faixas e incentivando-os á voltarem ao evangelho puro e simples.

Apesar da parada gay ser pertencente ao campo moral, ela também invade o campo político e também o religioso talvez por isso as pessoas façam essa ponte e querem que nós façamos nosso protesto "religioso" lá. Mas se for parar para pensar é uma coisa totalmente diferente, o assunto é totalmente outro.

O que realmente acontece com aqueles que nos perguntam porque não vamos protestar na parada gay é que quem faz esse tipo de pergunta na verdade está dizendo: "Os verdadeiros inimigos são os gays e não os evangélicos. Se há alguém que tem que ser rebatido a luz do evangelho são os gays "promíscuos e impuros" e não os evangélico da marcha para Jesus"

Sei que o que vou dizer agora pode me acarretar em muitas críticas e posso perder alguns leitores e seguidores, mas meu site é o lugar onde posso dizer o que penso e por isso vou dizer:

A parada gay em sua essência é mais pura que a marcha para Jesus. Na parada gay não há máscaras ou sepulcros caiados, lá se mostra aquilo que realmente se é, sem vergonha, sem preconceito e sem nada a esconder. Tudo em nome daquilo que eles acham certo para sua vida. Quem vai lá vai em busca de direitos iguais, mas também vai buscar por sexo, droga, bebida e curtição, isso à vistas de todos.
Enquanto isso a marcha para Jesus é um evento mascarado, manipulado e com segundas e terceiras intenções. Em sua essência acha-se um sentimento de mostrar aquilo que se não é. A começar da liderança que diz que a marcha é para Jesus mas na verdade é para encher suas contas bancárias, influenciar a política e fortalecer suas igrejas como instituição.

Os participantes também são na maioria falsos dizendo que vão lá para marchar para Jesus, mas quando chegam lá buscam quase as mesmas coisas que as pessoas da parada gay buscam. Lá vi diversos casalzinhos de ficantes, azaração, curtição geral numa zoeira que lembra muito as micaretas nordestinas.
Ouvi uma vez um pastor que disse que após a marcha para Jesus ele ligou para os motéis da região da marcha se dizendo um jornalista e queria saber se o movimento no dia da marcha era maior ou menor que o o normal. O  impressionante é que os donos de motéis e drive-ins da região da marcha disseram que o movimento cresce muito principalmente após os últimos shows da noite. Os "irmãoszinhos" vão pra lá apagar o "fogo".

Isso posto, a marcha para Jesus é regada por hipocrisia e falsidade, coisa que não existe na parada gay.

Mas como a marcha para Jesus é em nome do evangelho então é por isso que vou lá protestar.
E como a parada gay não tem nada a ver o evangelho, na verdade eles são anti-evangelho e não querem ver um pastor lá nem pintado de ouro citando versículos bíblicos, eu não vou protestar lá, seria como jogar pérolas aos porcos, (não que homossexuais sejam porcos) eles não dariam valor.

Já na marcha para Jesus centenas de pessoas são despertas e confrontadas com a verdade do evangelho e pode surtir algum efeito positivo onde o coração for sincero e realmente sedento por Deus. Temos diversos emails e comentários que recebemos de pessoas que nos viram, leram nossos folhetos e se despertaram para a simplicidade do evangelho e isso nos dá ânimo a caminhar, apesar das críticas.

Espero que tenham entendido.

Se você conhece alguém que tem essas dúvidas, recomende esse artigo.



Comentários
3 Comentários

Outras publicações