Destaques

"...Enquanto ensinarmos que o mundo é um lugar a ser evitado, que as mazelas humanas são fruto da ausência de Deus, que Deus não ouve os pecadores, que só a igreja evangélica é que detém os "diretos autorais" da salvação, que ser forte e inabalável é sinônimo de fé e que ser pecador é ser inimigo de Deus então ainda não entendemos o plano da salvação e o evangelho de cristo rebaixado apenas á mais uma religião...."
"Sequencia de vídeos diários com a leitura do Novo Testamento"

terça-feira, 1 de junho de 2010

LIVRO: Os mais cruéis da história

Hitler, Estaline, Calígula ou Drácula são alguns dos homens mais cruéis da história da humanidade, segundo o livro «The Most Evil Men and Woman in History» de Miranda Twiss, publicado em Portugal pela editora Estampa. O livro reúne um conjunto de 16 homens e mulheres, desde o século I até aos nossos dias, que ficaram conhecidos pelo seu poder e pela violência que exerceram sobre os outros.

«Desde o nascimento de Calígula no Império Romano até ao genocídio do povo cambojano na década de 80 do século XX, impelidas pelo poder, plela religião, pela luxúria e pelas convicções políticas estas pessoas converteram-se em protótipos do terror em todo o planeta», defende a escritora no início do livro. Entre os 16 maiores monstros do mundo pode-se encontrar Nero, o quinto imperador romano; Átila; João sem Terra; o inquisidor espanhol Torquemada; o Príncipe Vlad, o Empalador ou Drácula; a rainha católica Maria I, a Sanguinária; Ivan IV, o Terrível; o monge russo Rasputín; Pol Pot e Idi Amin.

A escritora acrescenta ainda que apesar dos actos de terror cometidos, apenas seis destas personagens morreram em consequência dos seus actos e a maior parte não enfrentou a justiça.
Comentários
0 Comentários

Outras publicações