Destaques

"...Enquanto ensinarmos que o mundo é um lugar a ser evitado, que as mazelas humanas são fruto da ausência de Deus, que Deus não ouve os pecadores, que só a igreja evangélica é que detém os "diretos autorais" da salvação, que ser forte e inabalável é sinônimo de fé e que ser pecador é ser inimigo de Deus então ainda não entendemos o plano da salvação e o evangelho de cristo rebaixado apenas á mais uma religião...."
"Sequencia de vídeos diários com a leitura do Novo Testamento"

sexta-feira, 15 de março de 2013

OXÓSSIS E BABALAÔS


Por Alex Martins

Perguntei pra minha filha se ela queria que eu lesse uma historia pra ela, ela disse que preferiria ler uma historia que a professora leu pra ela na escola.


A história era sobre Oxóssi, uma divindade do candomblé. Falava sobre sacrifícios e sobre os orixás e babalaô.

Um texto de fundo religioso, mas direcionado para crianças até com uma musiquinha a oxóssi.

Uma pessoa que defende o ensino religioso nas escolas não pode reclamar se seu filho chegar em casa falando sobre uma religião que não concorda.

O texto era longo e deixei ela ler até o final, sem interrupções. Foi tudo muito tranquilo e natural. Em minha casa não há divindade ou demônio que tenha importância superlativizada, aqui, além do espírito de Deus, nenhum outro espírito é temido, ou reverenciado. Por isso não houve interrupções no texto, não houve nenhum "tá amarrado","misericórdia" ou espanto com os nomes, pois a única coisa que nos causa espanto é Graça de Jesus e estamos tão cheio dela que não há espaço pra mais nada.

Ensino meus filhos respeitarem todas as religiões, sem neuras sem medos e sem discriminação, ao ponto de se um dia eles conhecerem algum amigo praticante do candomblé eles possam ser amigos sem se preocupar com as paranoias e discriminações dos adultos. Afinal o reino dos céus é deles independentemente da religião dos seus pais.

Expliquei pra Ana o que significava cada uma daquelas palavras (que ela não sabia nem ler e pronunciar) e comparei com o evangelho.

Quero mais que meus filhos venham sempre com perguntas sobre a vida, as religiões, predestinação, homossexualidade e tal... gosto de explicar essas coisas pra eles e minhas explicações não são como geralmente as outras pessoas fazem com eles.

Outro dia falando com o Davi, meu filho,  sobre Deus saber o passado, o presente e o futuro e sobre o evangelho, ele me disse: "Pai, muito legal isso, você tem que falar essas coisas pra todo mundo você deveria abrir uma igreja e ser pastor!" Eu dei risada e disse que já era pastor deles e de meus amigos que andam e conversam esse tipo de coisa comigo e isso já é uma honra.

Em casa há espaço pra falarmos de qualquer coisa com muita mansidão e tranquilidade, inclusive assuntos mais "pesados" como, macumba, diabo, inferno ou qualquer outro tabu da religião

Esse assunto me fez lembrar de um texto sobre isso que gosto muito:

"É insuportável ver o diabo ser glorificado pela freqüência com a qual se menciona o seu nome nos cultos, sendo que Paulo dele falou menos de uma dúzia de vezes em todas as suas cartas, e as alusões que Jesus fez a ele foram mínimas. No entanto, entre nós o diabo está entronizado como o inimigo de Cristo e o Senhor das Culpas e Medos. E, assim, pela freqüência com a qual ele é mencionado, ele é crido; e seu poder cresce na alma dos humanos, a maioria dos quais sabe apenas do Medo da Lei, e nada acerca da Total Libertação que temos da Lei e do diabo na Graça de Jesus, que o despojou na Cruz. Insuportável culto!""
Leia o texto completo clicando aqui 


É isso ai pessoal, esse post é só pra contar essa breve experiência que tive em casa.

Um abraço


Comentários
0 Comentários

Outras publicações